Possivelmente a única fotografia de um navio negreiro, esta foi feita por Marc Ferrez, em 1882. O navio que transportava as vítimas da escravidão era francês e a foto foi produzida de forma clandestina

Esse texto eu escrevi na primeira posse de Barack, em 2008...Mas ainda a acho válida!


CARTA ABERTA AO PRESIDENTE NEGRO...

É meu caro Obama...
Os covardes da Ku Klux Klan não conseguiram

impedir esse momento.
Os ignóbeis segregacionistas do sul, tiveram de engolir
esse momento.
Sua posse aconteceu! E foi linda...Foi histórica!
A sua posse fez, o sonho de Martin Luther King se reavivar.
O seu discurso fez a ira de Steve Biko se amainar.
E, a multidão que o escutou. As reuniões de Malcom X fez relembrar.
Você conseguiu Obama!
Superou as adversidades, contornou as animosidades. E conquistou
seu merecido espaço. Ou nosso espaço. Pois agora Obama:
Cada negro desse mundo, sente-se um pouquinho presidente!
Agora vai!
E mostre aos contrários que o negro é capaz, inteligente, e que,
igual a eles, o negro é GENTE..
Presidente Obama...
Faça tudo o que puder por amor à sua Pátria.
Mas lembre-se; agora você é o representante-mor de uma raça.
Honre essa raça, como até agora você fez! E tenha a certeza Obama;
Cada lar de negros desse planeta, será uma embaixada à seu dispor!
Continue a ser esse Obama! Obama AXÉ!

Bhall Marcos

 

Este cartaz saiu da Espanha e está rodando o mundo (traduzido).  Muito bom para chacoalhar os países que estão discriminando estrangeiros, mas bom também para todo mundo,  para uma reflexão sobre nossos preconceitos, nossas escolhas e nossas rejeições!

 

Mais uma lamentável demonstração de racismo chacoalhou a Eurocopa. Durante o empate de 1 a 1 entre Itália e Espanha, fãs da Fúria provocaram o atacante Mario Balotelli com barulhos de macaco.

Um fotógrafo inglês, que trabalhou durante a partida, confidenciou ao "Daily Mail", que centenas de espanhóis fizeram questão de provocar Balotelli sempre que o jogador do Manchester City pegava na bola:

- Me coloquei à frente da torcida espanhola e centenas deles faziam sons de macaco e zombavam de Balotelli sempre que ele pegava na bola. Era ainda pior quando ele se envolvia em algum lance polêmico, como quando recebeu um amarelo.

Ainda não está claro se Balotelli ou algum jogador italiano ouviu os gritos e se a Uefa irá investigar o caso.

Raça


Não
Não sou um poeta de celebrações
Sou humilde e sou negro
Trago em mim as marcas, discriminações
Mas mesmo assim eu não me entrego


As várias dores que a vida me infringiu
fizeram-me crescer e ser mais forte
Superar os dissabores que a vida me serviu
Cantar a negritude até à morte


Não
Não sou um poeta cabisbaixo por aí
Vivo e escrevo o meu orgulho
Represento a miscigenação de um país
que insiste em ver-me como entulho


As várias cicatrizes que o racismo em mim abriu
fecharam-se, e se tornaram uma couraça
Poeta negro, forte e varonil
Um jardineiro...
a semear, o orgulho de uma raça.

Bhall Marcos


Foto histórica: Um branco racista da KKK (Ku Klux Klan ) sendo socorrido por médicos

e enfermeiros NEGROS logo depois de ser baleado!

 


 

LEI ÁUREA

 

 

Em 14 de novembro de 1960, Ruby Bridges, uma menina de seis anos de idade, foi levada à escola em Nova Orleans, EUA, por uma escolta de policiais federais.
                                         A menininha foi pesadamente insultada e ameaçada de morte por uma multidão enfurecida.
Ela assistiu às aulas sozinha (as demais crianças foram mantidas em casa pelos pais).
E na volta para casa foi apedrejada.
Seu crime: Ruby Bridges era negra.

Faleceu ontem (dia 24/05) pela manhã Abdias do Nascimento.
Poeta, político, artista plástico, jornalista, ator e diretor teatral, Abdias foi um corajoso ativista na denúncia do racismo e na defesa da cidadania dos descendentes da África espalhados pelo mundo (cf. Correio Nagô). 
Ex-militante da Frente Negra Brasileira, Fundador do Teatro Experimental do Negro, do qual fez parte, dentre outras atrizes e atores, Ruth de Souza, ex-deputado federal e ex-senador, Abdias deixa um legado de luta e dignidade, que é preciso manter vivo, seja por meio da leitura de seus livros, seja aprendendo com sua atitude de insubordinação ou por meio da discussão de seus ideais humanitários.
Axé, Abdias, vivo sempre em nossa memória!
 
Para saber um pouco mais sobre a vida desse ícone do movimento negro, é fundamental a leitura da maravilhosa biografia feita por Éle Semog, publicada pela Editora Pallas: Abdias - o Griot e as Muralhas.
Dois vídeos também mostram um pouco a face humana e a história desse ativista:


http://www.youtube.com/watch?v=kjT-nbvV0uE


http://www.youtube.com/watch?v=fvSvdDwvVaw&feature=related
 


Fonte: Quilombhoje

 

 

  
 Médico acusado de racismo - Notícia da Folha de São Paulo 
 
 
   
 
 
   
 
FOLHA DE S. PAULO - COTIDIANO
Médico acusado de racismo é condenado a pagar R$ 20,7 mil

Decisão da Justiça Estadual de SP determinou que o médico J. A. S., acusado de injúria racista, pague a copeira J. O. indenização por danos morais de 50 salários mínimos (R$ 20,7 mil). Cabe recurso à determinação. ``Ele me xingou de preta filha da puta e atirou uma bandeja em mim``, disse J., 44, moradora de São José do Rio Preto (interior de SP). O incidente ocorreu em setembro de 2007 no hotel em que ela trabalhava na cidade, enquanto levava o café da manhã no quarto onde o médico estava hospedado. Na decisão do juiz Lavínio Paschoalão, o magistrado afirma que quando foi feito o boletim de ocorrência o médico admitiu à polícia ``a conduta ofensiva``. Na delegacia o médico apresentou documentos afirmando morar no Tocantins e não compareceu às audiências do processo. A reportagem tentou, sem sucesso, contato com o clínico-geral ontem, por meio de número de telefone celular.O crime de injúria com cunho racial prevê reclusão de um a três anos e pagamento de multa.





[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]